26
maio
08

The Pragmatic Programmer, no ambiente Waterfall é claro !

Estou lendo o consagrado The Pragmatic Programmer, o livro é ótimo e faz com que eu tenha certeza que sou um sadomasoquista -calma, eu vou explicar-. Da sua capacidade técnica eu nunca desconfiei, pois sempre é citado nas lista de “top hits” de pessoal muito bom como o Guilherme Chapiewski e Phillip Calçado.
Agora entra a explicação do sadomasoquismo … ler um livro destes, realmente nos faz pensar, tanto em corrigir hábitos ruins que adquirimos com o tempo, quanto novas possibilidade em automatizar todas as tarefas rotineiras por exemplo. Até ai tudo bem, maravilha, o livro até parece uma auto-ajuda alá Paulo Coelho para o programador sofrido e abatido pelo rotina Waterfall … E é nesse momento que volto a realidade e lembro que não sou um programador e muito menos pragmático, pois aqui, no real world Waterfall eu sou apenas um macaco digitador, logo adaptei algumas lições do livro para a vida real:

  • The DRY Principle, bom aqui é diferente, parafraseando o Miguel, aqui temos o PRY Principle, que se auto explica, Please Repeat Yourself.
  • Building Adaptable Systems, essa parte aqui se resume a criar “flags” no banco de dados e dar um nome bonitinho de “parametrização”.
  • Programming Close to the Domain, Domain !?! Seria enviar 18 ou mais parâmetros pra procedures que contém as regras de negócio ? Se for, aqui a gente faz !
  • Programming Defensively, aqui isso se resume a colocar logs em lugares chaves pra passar a culpa do bug para outro equipe.

É claro que existem mais conceitos, mais para um programador-pragmático-waterfall os principais estão acima. O significado real de cada tópico você pode ver nos links, apesar que nada substitui a leitura do mesmo, que por sinal eu recomendo!

Enquanto isso, continuo com a minha sessão “sado”, lendo sobre DDD e tentando descobrir Por que as pessoas de negócios falam como idiotas.

Qualquer desabafo deixem nos comentários.

*obs: o link do amazon não é “paitrocinado”, só ilustrativo mesmo.

Anúncios

2 Responses to “The Pragmatic Programmer, no ambiente Waterfall é claro !”


  1. 1 miguelbaldi
    maio 26, 2008 às 1:55 pm

    Excelente post! Ainda vou ler este livro, hehe.

    Completando, temos:

    -Duck Typing for Use Cases:
    Se parece uma caso de uso, se soa como um caso de uso…É um caso de uso!!! Mais uma funcionalidade inútil para o cliente (ou séria idiota que financia um pesadelo esperando um sonho!).

  2. 2 Farina
    maio 26, 2008 às 9:30 pm

    Grande Roger Alberto de Nobrega.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: